sábado, 28 de maio de 2011

Empresa alemã premiou executivos com orgia / German company executives rewarded with orgy


Uma empresa controlada pelo grupo Munich Re premiou seus executivos de melhor desempenho comercial com uma orgia que teve a participação de 20 prostitutas, em Budapeste, na Hungria, segundo reportagem do jornal alemão "Handelsblatt" divulgada nesta quinta-feira.

A festa, realizada no verão de 2007, foi considerada uma "violação" da política da empresa, de acordo com Alexander Becker, porta-voz da empresa Ergo, a subsidiária do Munich Re que organizou a orgia. Os executivos envolvidos na organização da festa não estão mais empregados na empresa.

 As mulheres usavam fitas coloridas para diferenciar aquelas que estavam "reservadas" para executivos mais graduados. A divisão era a seguinte: fita vermelha para recepcionistas, amarela para prostitutas que estavam disponíveis para favores sexuais e branca para a diretoria. Depois que ia para a cama com algum executivo, a mulher tinha um selo afixado no antebraço.

A Ergo vende seguros de vida e de carros e planos de saúde. Os produtos são oferecidos por uma rede de corretores e outros agentes comissionados. É uma prática do setor oferecer viagens e outras premiações para os executivos que fecham mais contratos. Mas as premiações da Ergo "definitivamente" não são feitas na forma de orgia, segundo porta-voz do grupo.

O grupo Munich Re, maior segurador do mundo, detém o controle integral da Ergo, que é a segunda maior empresa de seguros da Alemanha. A festa em Budapeste foi organizada por uma subdivisão conhecida como Hamburg-Mannheimer Versicherungs-AG, mas que passou a ser chamada de Ergo como parte de uma estratégia de marketing em 2009.

Os responsáveis pela festa saíram do quadro de funcionários da empresa antes que o caso fosse divulgado.

A subsidiary of Munich Re Group has awarded its executives to better business performance with a spree that saw the participation of 20 prostitutes in Budapest, Hungary, the second report in German newspaper "Handelsblatt" released on Thursday.

The festival, held in the summer of 2007, was considered a "violation" of company policy, according to Alexander Becker, spokesman for the company Ergo, a subsidiary of Munich Re, which organized the orgy. Executives involved in the organization of the party are no longer employed at the company.

  The women wore colored ribbons to distinguish those that were "reserved" for top executives. The division was as follows: red tape to receptionists, yellow for prostitutes that were available for sexual favors, and white for the Board. After going to bed with some executive, the woman had a stamp affixed to the forearm.

The Ergo sells life insurance and car and health insurance. The products are offered through a network of brokers and other commission agents. It's an industry practice to offer travel and other awards to executives close more deals. But the rewards of Ergo "definitely" are not made ​​in the form of orgies, according to a spokesman for the group.


porque não dão prémios desses na minha empresa???
why not give these awards in my company??

2 comentários:

Otário disse...

hum... se a alemanha tomasse assim conta de nós...

mythic disse...

otario
era bem bom nao era?

veja tambem estes posts / see also these posts to

Related Posts with Thumbnails